segunda-feira, 3 de julho de 2017

Acidentes de Trabalho



De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking de mortes decorrentes de acidentes de trabalho, atrás apenas de China, Estados Unidos e Rússia.

O documento Estratégia Nacional para Redução dos Acidentes do Trabalho 2015-2016, divulgado pelo MTE em 2015, apontou que houve 2.797 acidentes do trabalho fatais em 2013 no Brasil, o que correspondeu a uma taxa de mortalidade de 6,53 a cada 100.000 segurados no país. Além disso, o mesmo relatório destaca que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) faz a estimativa de que 2,34 milhões de pessoas morrem todos os anos no mundo devido a acidentes de trabalho.

A maioria dos acidentes de trabalho ocorre em atividades ligadas ao transporte, armazenagem, comunicações e construção civil. Essas ocorrências geram grandes prejuízos financeiros para a empresa, que precisa arcar com licenças médicas, internações, reabilitação, multas e indenizações trabalhistas. Por isso, é fundamental que as empresas invistam em sistemas de segurança e cumpram a legislação relativa à segurança e saúde no trabalho.

Existem vários motivos que ocasionam os acidentes de trabalho no país. Os principais são:

Não utilização do equipamento de proteção individual (EPI), que é obrigatório, mas nem sempre é seguido à risca.

Falhas ao instruir o trabalhador. Por exemplo, informando que o uso do EPI é obrigatório ou mostrando como determinado equipamento funciona.

Falta de conhecimento sobre segurança no trabalho e sobre a manipulação dos equipamentos;
Atitudes imprudentes por parte dos trabalhadores em ambientes perigosos.

Negligência ou ausência de fiscalização do ambiente de trabalho.

Falha no cumprimento de leis trabalhistas por parte das empresas.

Negligência com relação aos direitos dos trabalhadores.

Maquinários velhos e obsoletos, que não substituídos por equipamentos novos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário