quarta-feira, 29 de abril de 2020

Saiba quais os diferenciais da máscara de proteção contra poeira


Quando pensamos em riscos aos trabalhadores no dia a dia, normalmente nos lembramos de quedas de objetos ou de alturas, cortes e perfurações, ou até mesmo choques. Porém, há riscos também no ar, principalmente se considerarmos trabalhos que geram poluentes no ambiente, como em metalúrgicas, marmorarias, serralherias e até mesmo no trabalho no campo. Justamente por isso, é fundamental conhecer os diferenciais da máscara de proteção contra poeira e outras substâncias.

Máscara de proteção contra poeira: veja quais são os pontos de atenção

Proteção! As máscaras evitam a inalação, voluntária ou involuntária, de poeira e outras substâncias nocivas que estão no ar. Como resultado, as chances de surgimento ou agravamento de doenças respiratórias são reduzidas. As principais substâncias prejudiciais à saúde e que estão presentes no ar:

Poeira: o tipo de poeira mais comum é a gerada por terra e até mesmo pequenas partículas de areia, principalmente quando o tempo está muito seco e árido.

Gases: dependendo do ramo de atuação da empresa, o ambiente pode contar com diversos gases tóxicos extremamente nocivos à saúde humana.

Aerodispersóides: combinação de substâncias líquidas ou sólidas que estão presentes no ar.

Classificação das máscaras de proteção

Dentro do universo dos equipamentos de proteção individual, a máscara de proteção contra poeira e demais substâncias é classificada como uma peça facial filtrante (PFF), com os respiradores correspondentes identificados como P1, P2 e P3. Esta indicação é determinada pelo modelo de filtro mecânico utilizado em cada máscara e também considerando a capacidade de retenção de agentes contaminantes específicos. Confira:

PFF-1: máscara de proteção contra poeira e névoas. Semifacial. A capacidade de retenção de partículas é baixa.

PFF-2: máscara de proteção contra poeira, névoas e fumos. Semifacial. A capacidade de retenção de partículas é média.

PFF-3: máscara de proteção contra partículas tóxicas finas e também radionuclídeos. A capacidade de retenção de partículas é alta.