quarta-feira, 15 de julho de 2020

Mosquetão: um guia para o seu uso correto na segurança do trabalhador


Na realização de trabalho em altura, a utilização de equipamentos de proteção individual – EPI – é de extrema importância para assegurar a integridade física do trabalhador. No Brasil a norma regulamentadora NR 35 dispõe regras para a realização do trabalho em altura, a fim de evitar acidentes. 

O mosquetão, juntamente com outros equipamentos de segurança, tem o objetivo de proteger o trabalhador que realiza trabalho em altura, o que pode causar diversos danos à saúde, inclusive a morte.

Se você deseja saber um pouco mais sobre a utilização deste equipamento, os tipos disponíveis, bem como o por que de disponibilizá-lo a seus funcionários, continue lendo esse post, pois nele esclarecemos todas as suas dúvidas.

O que é mosquetão

O mosquetão é um anel, composto de alumínio, inox ou na maioria das vezes em aço, que possui uma parte móvel chamada gatilho, que faz o movimento de abrir e fechar, permitindo que a passagem dele através de uma corda, olhal  ou estrutura e fechamento seguro.

Além de ser usado nos trabalhos em altura, é utilizada em alguns esportes, tais como alpinismo e escalada. O mosquetão é composto de diversas partes, sendo elas topo, espinha, base, nariz, trava, dobradiça.

É importante que antes de adquirir o mosquetão se verifique a sua resistência mecânica, garantindo assim a segurança do trabalhador. Usar um mosquetão que resiste a uma determinada carga, em uma carga superior, pode não atender a demanda esperada, colocando em risco a saúde do trabalhador e ocasionar um acidente que pode levar até a morte do usuário.

A função do mosquetão portanto, é fazer esse elo, do cinto de segurança usado pelo trabalhador, a um ponto de ancoragem, fazendo com que o mesmo fique seguro ao realizar determinado trabalho em altura

Quais os tipos de mosquetões

Existem alguns tipos de mosquetão, e cada um deles indicado para um tipo de atividade. 

Veremos a seguir quais são eles e suas principais funções.

- Mosquetão sem trava;

Esse tipo de mosquetão e utilizado em esportes. A ausência de trava, serve justamente para permitir uma maior mobilidade ao esportista, que muitas vezes precisam abrir e fechar o mosquetão de forma rápida para que se movimenta com agilidade. É válido lembrar que a abertura do mosquetão só deve ser feita quando não apresentar nenhum risco ao usuário.

- Mosquetão com trava de rosca

Nesse tipo de mosquetão, existe uma rosca interna sobre o gatilho. Essa rosca é acionada manualmente de forma que não abre sozinha. Esse modelo é utilizado para trabalho em altura, visto que sua abertura não é tão facilitada, protegendo o mesmo de uma abertura acidental.

- Mosquetão com travamento automático

Assim como o mosquetão de trava rosca, esse modelo também é muito propício para trabalhos em altura. Isso porque ele tem uma trava automática que fecha por si só após um quarto de volta. Apesar de ser um produto um pouco mais caro, traz uma enorme segurança, o que vale o investimento.

- Mosquetão de travamento semi automático

Seu funcionamento é muito semelhante ao automático, mas seu mecanismo para fechar é através de uma mola, e para que seja aberto é necessário girá-lo sobre seu eixo.

Como escolher o mosquetão mais adequado a sua atividade

Para fazer a escolha adequada do tipo de mosquetão, fique atento à qual tipo de risco a pessoa estará exposta, e qual a sua necessidade. Outro ponto a ser levado em consideração é o peso do material, se for utilizado para escaladas por exemplo, um mosquetão mais leve será mais interessante. Verifique também qual o peso o mosquetão precisa suportar, para que o mesmo não se quebre no decorrer da atividade podendo ocasionar um acidente que pode levar até a morte do usuário.

Além disso, mesmo o mosquetão automático, é necessário sempre a conferencia da sua trava, para evitar acidentes.

Cuidados para manutenção

Assim como todos os EPIs, os mosquetões precisam ter uma manutenção periódica para que sua funcionalidade não seja comprometida. Além disso, com a manutenção feita adequadamente, a durabilidade do equipamento tende a aumentar.

Sempre depois de utilizado, o mosquetão precisa ser higienizado de maneira correta, geralmente lavado com água e sabão e seco com pano, para que o mesmo nao fique molhado e possa vir a ocorrer oxidação.

As dobradiças devem ser verificadas periodicamente para verificar se estão em perfeito estado para uso, em determinadas circunstâncias, é bom lubrificar as mesmas com óleo.

É interessante que se faça manutenções preventivas periódicas em todos os equipamentos, verificando se eles se encontram em perfeito estado para uso. Essa manutenção deve acontecer pelo menos de 6 em 6 meses, porém, é ideal que se faça pelo menos uma breve verificação todos os dias antes de seu  uso.

Fique atento também a validade do equipamento, pois equipamentos fora do prazo de validade, podem ter sua eficácia diminuída.

Quem deve fornecer o mosquetão aos trabalhadores

A empresa é obrigada por lei a oferecer todos os equipamentos de segurança ao trabalhador de forma gratuita, assim como o trabalhador tem o dever de zelar pelo cuidado do equipamento.

A empresa deve ficar atenta ao fornecedor do qual está comprando o equipamento e também fornecer treinamento para os trabalhadores, para que utilizem o equipamento de maneira adequada, além de orientá-los quanto a importância de seu uso e a maneira correta de manuseá-lo.

Vimos que é muito importante conhecer bem mosquetão que se vai utilizar, visto que existem diversos modelos e materiais, para que se evite sempre danos a vida e à saúde do trabalhador. É importante que se saiba a procedência do material que está comprando através do seu CA.

Se você se preocupa em oferecer EPIs de qualidade a seus funcionários, e ainda, se precisa de uma empresa que de treinamento a seus funcionários no que diz respeito a segurança do trabalho, entre em contato com a Conect, uma empresa séria, que tem o que há de mais moderno em equipamentos de segurança no mercado. Além disso todos seus produtos são certificados pela ISO 9001, garantindo seu padrão de qualidade.

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Entenda como fazer o armazenamento de produtos químicos


Muito utilizados em laboratórios e indústrias, os produtos químicos são materiais que podem trazer sérios riscos à saúde e ao meio ambiente. É muito importante que as empresas que fazem uso desse tipo de produto se atentem à sua forma de armazenamento, transporte e manuseio. Visto que esses materiais podem causar liberação de gases tóxicos e inflamáveis, lesões e queimaduras na pele, e até mesmo explosões.

Para que se tenha o devido armazenamento de produtos químicos, é necessário que se conheça a família dos itens, a fim de armazená-los em lugares apropriados para que não ocorra nenhum incidente. Se você tem dúvidas sobre qual a melhor forma de armazenamento, continue lendo este post, pois nele você encontrará diversas dicas para lidar com os produtos químicos. Confira!

Entenda como os produtos químicos são classificados

Os produtos químicos são divididos em 4 principais tipos, são eles: 

- Tóxicos: são aqueles que podem causar envenenamento por inalação, absorção ou ingestão;

- Explosivos: são substâncias que quando passam pelo processo de queima liberam grande quantidade de gases inflamáveis, que causam combustão com facilidade;

- Corrosivos: conseguem destruir tecidos vivos;

- Radioativos: substâncias nas quais seus átomos têm a capacidade de liberação espontânea de radiação de seus núcleos.

Cada um desses tipos de produtos tem a sua própria maneira de serem armazenados e a Norma Regulamentadora (NR) 20 estabelece requisitos para a sua gestão, a fim de garantir segurança e evitar acidentes.

Conte com um almoxarifado adequado

Os produtos químicos não devem ser armazenados em lugares que não tenham uma boa infraestrutura para os estocar. Os almoxarifados destinados a esse tipo de material devem ser devidamente projetados para receber esses materiais e conter algumas exigências previstas em norma para evitar acidentes.

Eles precisam ter um bom sistema de refrigeração, isso devido ao ponto de fulgor de algumas substâncias. Precisam ter um sistema de ventilação eficiente que conte com exaustores, para evitar o acúmulo de quaisquer gases tóxicos que possam ser produzidos. Também, devem conter extintores de incêndio, conforme previsto em norma nas suas disposições. Além disso, o ambiente deve ser todo sinalizado para deixar explícitas, de maneira de fácil compreensão, os riscos presentes no local.

É importante, ainda, que a rede elétrica desses almoxarifados sejam a prova de explosão e que todos os produtos tenham uma etiqueta de identificação. Não é aconselhável que esses produtos sejam colocados no chão, o ideal é colocá-los em prateleiras, de preferências largas, para que possam ter ventilação.

Os almoxarifados, não devem ser organizados em ordem alfabética, mas sim por grupos compatíveis, visando evitar a reação química de um produto com o outro. É importante também que se tenham barreiras físicas de um para o outro.

Nos laboratórios

Em caso de produtos químicos para laboratórios, a armazenagem dos mesmos não devem ser feita nas próprias bancadas de trabalho. Eles precisam de um lugar específico e em pouca quantidade, sendo permitido somente o que for ser consumido em um determinado período.

Mantenha a atenção ao manusear os produtos

O manuseio de produtos químicos deve ser feito com bastante cuidado, para garantir a segurança e integridade física do trabalhador. É muito importante ler o rótulo do produto antes de utilizá-lo, para que não haja confusão entre um material e outro.

É importante também que, para o manuseio, o operador tenha treinamento para saber de fato com o que está lidando. Outro ponto a ser ressaltado é que as embalagens não devem ser reutilizadas para outros produtos e que seu descarte seja feito em locais apropriados, separados do lixo comum.

Use sempre equipamentos de segurança

A utilização de equipamentos de proteção individual (EPIs) para o manuseio de produtos químicos também é de extrema importância. Esses produtos podem causar diversos tipos de danos ao trabalhador. Isso porque o contato direto com eles pode causar lesões de pele, queimaduras, intoxicação, problemas respiratórios e até a morte.

Uma série de EPIs devem ser utilizados ao se manusear esses materiais:

- Óculos; 
- Capuz;
- Protetores faciais, que protegem o rosto e a cabeça de algum respingo;
- Luvas que mantenham o tato, para que se consiga manipular bem e, ao mesmo tempo, evitar o contato com a pele;
- Botas emborrachadas;
- Máscaras respiratórias, pois muitos desses produtos têm uma volatilidade muito alta e não podem ser inalados;
- Vestimenta completa, que cubra bem os braços e pernas, além de um avental.

É proibido trabalhar com esses produtos sem a devida utilização dos EPIs, por esse motivo, é muito importante que a empresa tenha um profissional habilitado em segurança do trabalho, para poder orientar e fiscalizar os trabalhadores.

Tenha os devidos cuidados no transporte

O transporte de produtos químicos deve ser feito com muita cautela e contar com profissionais certificados e treinados para realizá-la. É uma operação que envolve muitos riscos, tanto para as pessoas que estão transportando a carga como para quem está nas vias de circulação. Visto que em caso de acidentes as proporções podem ser muito grandes.

Deve-se ter cuidado também com o meio ambiente quando se trata do manuseio e transporte desse tipo de carga. Portanto, para fazê-lo, a empresa precisa ter uma série de documentos. Esses produtos podem causar danos severos à natureza se não tomadas as devidas precauções.

Primeiramente, o motorista deve passar por um treinamento e ter uma certificação de que está apto para transportar aquele material. Também, deve-se ter consigo documentos, como nota fiscal, licenças ambientais, certificados de inspeção. Ainda, a carga deve estar armazenada adequadamente conforme as normas da ANVISA. Além disso, o trajeto da viagem deve ser planejado e ser respeitado o tempo de descanso obrigatório por lei para o motorista, visando a redução do risco de acidentes.

Essas são algumas medidas que devem ser tomadas no armazenamento de produtos químicos, bem como no seu manuseio e transporte. É importante que os profissionais responsáveis pela segurança do trabalho da empresa estejam sempre atualizados com as normas vigentes e promovam um adequado treinamento para os funcionários.

Se essas dicas tiverem ajudado a esclarecer suas dúvidas, compartilhe este post nas suas redes sociais, para que mais pessoas entendam e vejam a necessidade de tomar todos esses cuidados com os produtos químicos.