terça-feira, 20 de março de 2018

Quando treinar o funcionário recém contratado?




Quando a contratação de um funcionário é feita, todos os requisitos em relação a admissão são cumpridos, contrato de trabalho, CPTS, exames admissionais, etc.

Por muitas vezes o treinamento em segurança do trabalho fica esquecido ou adiado, até que um dia o funcionário acaba se ferindo com equipamento que está operando.

O funcionário tentou fazer tudo corretamente, mas não recebeu as devidas orientações de segurança quanto ao manuseio da máquina.

Algumas pontos são essenciais para começar a mapear melhor essa questão e garantir que o trabalho ocorra da maneira mais segura possível.

As empresas contratam o funcionário e por muitas vezes não sabem lidar com a questão dos treinamentos em segurança do trabalho nem em que momento deve acontecer.

Na realidade, o funcionário nunca deverá operar qualquer equipamento sem as orientações de segurança.

1 – Forneça treinamento de segurança:
Exija que seja feito o treinamento de segurança, de como operar corretamente o equipamento, acima de tudo! Afinal, o funcionário deve estar ciente de todos os procedimentos que envolvem a segurança.

 2 – Esclareça sobre a importância da segurança do trabalho:
Apresente todo o programa de segurança da empresa, explique quais são os objetivos da empresa em relação a segurança e que ele também é responsável por isso.

3 – Diante de um acidente:
Oriente para que quando ocorrer uma situação de acidente e que ele seja notificado imediatamente, do mesmo modo quando houver irregularidades que seja informado o mais rápido possível.

4 – Equipamentos de segurança individual e coletivo:
Deixe claro que o uso dos equipamentos de segurança são obrigatórios em determinadas atividades e jamais deverão ser esquecidos.

5 – Trabalho e eletricidade:
Acidentes acontecem pela falta de informação sobre manusear equipamentos elétricos, treine o funcionário para que receba informações de segurança quando a atividade envolver eletricidade.

Os treinamentos em segurança do trabalho tem um papel importante na vida dos funcionários e para a empresa, pois quanto menos ocorrências de acidentes de trabalho, menores serão os gastos com afastamento ou contratações temporárias.

5 Itens Importantes no Treinamento de Segurança




1 - A segurança do trabalho como valor para a empresa

Quando a segurança do trabalho é tratada como valor ela passa a ser uma supremacia e isso contribui para a seriedade do assunto.

Imagine uma empresa que desde o início do treinamento trata a segurança como valor, que envolve a diretoria com o movimento de conscientização de segurança e que demonstra o compromisso com a saúde e bem estar dos trabalhadores, em contra partida, imagine outra empresa que apenas aplica o treinamento por obrigação a atender as normas exigidas pelo MTE.

Demostrar a importância que a empresa dá a segurança influencia diretamente o compromisso também dos trabalhadores, isso porque cria um senso de responsabilidade muito maior.

2 - Fornecer treinamentos de qualidade

Os treinamentos devem sempre respeitar a carga horária exigida pelo MTE e principalmente fornecer conteúdo completo e de qualidade. De nada adianta passar o compromisso da empresa com a segurança, se ela não reserva tempo e recursos para oferecer um treinamento de qualidade.

Quando falamos de qualidade vai desde a contratação de um profissional muito bem qualificado para aplicação do treinamento (no caso dos treinamentos presencial ou interno), como também da escolha da melhor plataforma e metodologia de treinamentos a distância.

3 - Fornecer e garantir o uso dos EPIs

Os EPIs são um dos principais elementos para a segurança do trabalho, isso porque o equipamento de proteção individual é responsável diretamente pela integridade do trabalhador.

O fornecimento, a orientação, a utilização e a fiscalização na utilização dos equipamentos de proteção individual é de fundamental importância para a conscientização dos funcionários e o êxito da empresa.

Importante também lembrar que todos devem estar nos parâmetros da NR-06.

4 - Acompanhar os resultados

Após realizado o treinamento, deve-se então acompanhar os resultados e revisar as medidas de segurança. Um treinamento de segurança do trabalho é sempre revisado, pois muitos fatores podem influenciar o surgimento de novos riscos e cabe a empresa estar de olho neles! converse com os trabalhadores periodicamente e escute o que todos tem a dizer, afinal eles trabalham diariamente com os riscos.

5 - Otimizar

Após o acompanhamento dos resultados, otimize sempre que necessário. Sempre há possibilidade de melhorar a política e as medidas de segurança do ambiente de trabalho.

10 Profissões com Adicional de Insalubridade




A insalubridade pode ser definida como a exposição de uma pessoa a um agente que pode colocar sua saúde em risco, seja por falta de higiene ou por não ser saudável. A NR 15 determina que os trabalhadores têm o direito de receber um valor adicional quando sua atividade profissional é realizada em um ambiente insalubre: trata-se do adicional de insalubridade.

Agentes e condições considerados insalubres

O benefício do adicional de insalubridade é determinado pelo Ministério do Trabalho e Emprego e está previsto no Art. 189 a 197 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Norma Regulamentadora 15 (NR 15) é a responsável por determinar o que são considerados agentes insalubres e condições de insalubridade. Os principais são:

Exposição a calor excessivo ou ao frio intenso;
Radiações ionizantes e não ionizantes;
Ruído contínuo ou intermitente;
Condições hiperbáricas;
Vibrações;
Umidade;
Agentes químicos;
Agentes biológicos.

10 profissões com direito ao adicional de insalubridade

Diversas atividades colocam o trabalhador em condições insalubres. Porém, as mais comuns são:

Eletricista;
Soldador;
Técnico em radiologia;
Profissionais da metalurgia;
Bombeiro;
Químico;
Mineradores;
Profissionais da Construção Civil;
Mergulhador;
Enfermeiros.

Para reduzir e/ou eliminar a insalubridade dentro do ambiente de trabalho é preciso que sejam utilizados os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados à cada função. Além disso, é fundamental que sejam adotadas medidas que mantenham o local dentro dos limites de tolerância e livre de riscos.


terça-feira, 13 de março de 2018

Trabalho em Altura: Dicas para Reduzir Riscos




Invista na capacitação e avaliação do profissional

Antes de submeter um profissional a trabalhos em altura, é fundamental ter a garantia de que ele está devidamente capacitado para realizar esta atividade. Para isso, ele deve ser treinado e estar autorizado a executar as tarefas.
A avaliação da saúde do profissional também é essencial, e deve envolver a realização de exames médicos relacionados a patologias que podem gerar mal súbito, cuja ocorrência pode levar a quedas.


Promova medidas protetivas adequadas

Os sistemas de proteção do funcionário devem estar sempre em dia, tanto do ponto de vista individual como também do coletivo. Isso envolve o fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual para trabalhos em altura, além de ações que possam evitar a ocorrência de acidentes e o cumprimento das normas e regras técnicas vigentes.


Supervisione

Toda e qualquer atividade realizada em altura deve contar com a supervisão de uma ou mais pessoas – o que vai depender de cada trabalho e de sua consequente análise de riscos envolvidos.


Faça uma Análise Preliminar de Riscos

Antes do início de qualquer atividade, é fundamental que a empresa e o colaborador estejam cientes dos riscos associados a ela. A Análise Preliminar de Riscos (APR) é uma ferramenta que serve justamente para identificar a possibilidade de que ocorram acidentes durante a execução de uma atividade.


Interrompa as atividades sempre que necessário


Se não houver condições adequadas ou se o trabalho em altura contar com riscos além dos previamente listados na Análise Preliminar de Riscos, ele deve ser imediatamente interrompido.

terça-feira, 6 de março de 2018

Dicas de segurança do trabalho no escritório




Realize a manutenção periódica das instalações prediais
É importante programar a manutenção das instalações dos setores administrativos, principalmente daquelas que oferecem maior risco — como é o caso de instalações elétricas, elevadores, escadas, sacadas e tetos.

Esteja atento à proteção contra incêndio
O Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros é uma exigência para diversas atividades empresariais. O documento só emitido quando a empresa cumpre todos os requisitos técnicos de segurança. Para isso, a empresa deve contratar um profissional qualificado para fazer as adequações necessárias, tais como: saídas de emergência, rota de fuga sinalizada e iluminada, extintores de incêndio em locais estratégicos, treinamento dos funcionários, locais adequados para produtos inflamáveis e/ou explosivos, entre outras medidas de segurança.

Invista em ergonomia de correção
O objetivo da ergonomia é criar ambientes de trabalho adaptados às necessidades dos funcionários, com foco na saúde e segurança. Existem diferentes tipos de ergonomia, sendo que a chamada ergonomia de correção tem justamente a finalidade de remodelar o arranjo físico e as instalações do ambiente de trabalho de modo a equilibrar as condições de temperatura, iluminação, ruído, ventilação e mobiliário.

Cuidado com carpetes mal colocados e pisos escorregadios
Um carpete velho e que está descolando em alguns pontos é um fator de risco, pois um funcionário pode tropeçar, cair e sofrer alguma fratura. O mesmo acontece com pisos escorregadios, que colocam em risco a segurança dos funcionários, principalmente se estiverem úmidos ou encerados. Portanto, a manutenção do carpete e o uso de revestimentos antiderrapantes são as melhores soluções.

Mantenha o ambiente de trabalho livre de cigarro
A lei contra o fumo em ambientes de uso público existe, mas muitas vezes é desrespeitada. Além de poluir o ambiente e causar diversos males à saúde, o cigarro oferece o risco de incêndios, especialmente se algum funcionário tem o hábito de jogar bitucas ainda acesas no cesto de lixo.

Não esqueça da sinalização de segurança
A sinalização de segurança é importante mesmo para situações sem emergência. O pessoal responsável pela limpeza e serviços de manutenção, por exemplo, deve sinalizar as áreas onde estão trabalhando para evitar a aproximação das pessoas. O ideal é que os avisos, além de bem visíveis, sejam colocados a uma distância segura e não em frente ao próximo passo de uma pessoa desatenta com o que está ocorrendo ao redor.

Invista no treinamento do pessoal

É essencial que a empresa realize palestras e simulações de acidentes para preparar os funcionários a lidar com situações de risco. É importante que todos conheçam os protocolos de segurança no trabalho para saber como agir em caso de sinistro.