terça-feira, 24 de outubro de 2017

Custos de um Acidente de Trabalho


Segundo dados da Previdência Social, o Brasil registra uma média de 700 mil acidentes de trabalho a cada ano. Esse número deixa o País na quarta posição entre os mais afetados por essas ocorrências em todo o mundo. Esta é uma informação preocupante não apenas para os profissionais brasileiros, mas para as empresas. Isso porque um acidente de trabalho envolve diversos custos.

O cálculo de custos de um acidente de trabalho não é complicado. De modo geral, ele consiste na somatória dos custos diretos e indiretos envolvidos no evento.


Custo Direto

Os custos diretos são as despesas que estão diretamente ligadas ao trabalhador acidentado.

Gastos com tratamento médico, odontológico, internações hospitalares e despesas farmacêuticas;
Em caso de redução da capacidade laboral, o trabalhador receberá um auxílio acidente;
Despesas com reabilitação médica e ocupacional;
Gastos com o transporte durante o tratamento;

Seguro de acidente.

A contribuição do acidentado deve ser calculada de acordo com o nível de risco causado pelo acidente de trabalho.

1% para risco de acidente considerado leve;
2% para risco de acidente considerado médio;
3% para risco de acidente considerado grave.


Custo Indireto

O custo indireto não está ligado diretamente com a perda imediata de dinheiro, mas com o ambiente e com as consequências causadas pelo acidente.

O salário pago ao trabalhador no dia do acidente e nos primeiros quinze dias de afastamento;
Multa contratual pelo não cumprimento de prazos;
Perda do bônus para a renovação do seguro patrimonial;
Gastos com o equipamento, peça ou material danificada pelo acidente;
Danos causados ao produto;
Gastos com a contratação e o treinamento de um novo funcionário;
Pagamento de horas extras para repor o prejuízo causado a produção;
Gastos extras como energia elétrica e demais facilidades das instalações;
Pagamento das horas de trabalho gastas pelos supervisores, outros trabalhadores e/ou empresas.


Custo Judicial

Os custos judiciais podem nem sempre ser necessários, mas devem ser levados em conta. Isso porque o trabalhador acidentado pode entrar na justiça, exigindo indenizações e gerando outros custos à empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário