terça-feira, 7 de agosto de 2018

Riscos Psicossociais no Trabalho





As empresas precisam melhorar continuamente a gestão do capital humano — afinal, mesmo que uma organização tenha atingido o grau máximo de automatização, ela certamente ainda depende do capital humano para continuar evoluindo. Mão de obra qualificada é essencial para qualquer tipo de atividade, mesmo para as tarefas que parecem simples.

Para manter um quadro de funcionários sempre eficiente e produtivo, é indispensável criar e manter um ambiente de trabalho saudável. Isto não significa pensar apenas no cumprimento de leis trabalhistas e normas técnicas que tratam da segurança e saúde no trabalho: há um outro aspecto muito relevante que deve ser considerado pelos gestores de recursos humanos, que são os riscos psicossociais no trabalho.


O que são riscos psicossociais?


Os riscos psicossociais abrangem fatores relacionados ao ambiente de trabalho que podem afetar a saúde mental do trabalhador, além de agentes externos que abalam o estado emocional e psicológico do profissional e reduzem sua capacidade produtiva.
Situações que colocam em risco a segurança e a saúde física do trabalhador são facilmente identificadas, ao contrário dos riscos psicossociais, que podem passar desapercebidos. Para identificar a existência de riscos psicossociais, é necessário fazer um raio-X do quadro de colaboradores. Esse levantamento deve apurar os índices de produtividade, rotatividade, absenteísmo (faltas ao trabalho), licenças médicas devido ao estresse, insatisfação elevada, clima organizacional tenso, funcionários desmotivados, entre outros indicadores que podem mostrar a existência de riscos psicossociais.


Consequências dos riscos psicossociais no trabalho


Os riscos psicossociais prejudicam o bem-estar do trabalhador e, em consequência, podem gerar mudanças de comportamento, déficit de atenção, baixa produtividade, dificuldade para trabalhar em equipe, estresse e outros distúrbios psicológicos ou psiquiátricos, aumentando os riscos de acidentes de trabalho.

Tudo isso tem reflexos sobre a vida pessoal, podendo abalar a relação com o cônjuge, com os filhos e amigos. Além disso, o mal-estar generalizado pode levar ao abuso de álcool, tabagismo e uso de substâncias psicoativas.

Os riscos psicossociais também acabam atingindo os negócios da empresa, uma vez que a baixa produtividade, rotatividade de mão de obra, absenteísmo, acidentes de trabalho e outros problemas causam prejuízos financeiros, reduzindo a lucratividade do empreendimento.


É possível prevenir os riscos psicossociais no trabalho?

Sim, mas isso depende do comprometimento da organização em melhorar a gestão de recursos humanos. A empresa deve analisar sua situação atual para identificar todos os fatores que representam riscos psicossociais. Naturalmente, não basta conhecer os fatores de risco sem pensar em soluções viáveis para eliminá-los e prevenir ocorrências futuras. A gestão do capital humano é vital para o futuro de qualquer empresa.


Fatores que podem causar riscos psicossociais


Excesso de exigências no trabalho

Atividades que exigem muita concentração, alto desempenho intelectual, controle emocional, assertividade no atendimento ao público, responsabilidade, ritmo de trabalho contínuo ou com muitas interrupções representam riscos psicossociais, com consequências sobre a saúde mental do trabalhador.

Sobrecarga de trabalho

As exigências de alta produtividade, mas sem a contrapartida de condições adequadas para a execução das tarefas, além de falta de mão de obra, prazos apertados, excesso de horas extras e mudanças constantes nos turnos de trabalho, são fatores que podem levar à insatisfação geral e ao esgotamento físico e mental dos trabalhadores.

Clima organizacional instável

Constantes mudanças na gestão da empresa, falta de transparência e objetividade na comunicação interna, muita competição, conflitos internos, ausência de plano de carreira e de políticas de benefícios para os trabalhadores, chefias autoritárias, assédio moral, assédio sexual, preconceito, discriminação, bullying, entre outros fatores que tornam o ambiente de trabalho desfavorável à saúde emocional e psicológica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário