terça-feira, 20 de agosto de 2019

Conheça os benefícios de cada modelo de botas para trabalho em obras


Em atividades profissionais que apresentam algum tipo de risco à integridade física dos
trabalhadores, o uso dos EPIs é essencial e obrigatório. Os famosos equipamentos de proteção
individual estão presentes, por exemplo, em canteiros de obra de todo o território nacional. Dentre
os mais comuns, as botas para trabalhos em obras certamente merecem destaque especial.

Sabe o motivo?

As botas garantem proteção em diversas situações. A mais comum é para evitar que o trabalhador
sofra perfurações nos pés em razão da presença de pregos, metais retorcidos, pedaços de
madeira e vários outros materiais perfurantes que possam machucar e, dependendo da gravidade,
até mesmo afastar a pessoa do trabalho e agravar sua condição clínica.

Além das perfurações, as botas para trabalho em obras também garantem proteção contra
choques elétricos, torções e impactos em geral, contato com agentes químicos, temperaturas
altas e baixas, ataque de animais peçonhentos, como aranhas e escorpiões, muito comuns
em obras.

Botas para trabalho em obras: principais modelos e seus benefícios

As botas para trabalho em obra são encontradas com mais facilidade em três modelos principais:
botas de PVC injetado, botas de borracha e botas de couro. Cada qual apresenta particularidades
e são indicadas para situações próprias:

- Botas de PVC injetado: EPIs indicados para canteiros de obras com elevado nível de umidade,
com áreas alagadas. Botas 100% impermeáveis e muito resistentes, com solados variados, cano
curto médio ou longo.

- Botas (botinas) de couro: são modelos também disponíveis com canos curtos, médios e longos,
porém apresenta maior nível de conforto em comparação às botas citadas anteriormente.  O nível
de resistência é equiparado. Botas indicadas para canteiros de obras secos, como para trabalhos
em alvenaria e revestimentos.

- Botas de borracha: modelo bem popular e indicado para proteção contra impactos no bico do
pé e ossos laterais (como metatarsos) e quedas de produtos. Botas que podem ser utilizadas
com proteção extra à penetração de materiais pontiagudos, como pregos. A palmilha pode
também conter revestimento de aço e é um EPI ideal para trabalhos em áreas com muita
incidência de aranhas, cobras e escorpiões
O ponto principal na hora de escolher a bota certa é analisar o cenário e sua necessidade. Como
vimos, cada modelo é mais indicado conforme o terreno e tipos de problemas existentes. Portanto,
não deixe de analisar com cuidado o local de trabalho.

ABNT e MTE

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)
estabelecem as normas nacionais para utilização de calçados de segurança:

– ABNT NBR ISO 20344:2008 – Equipamentos de Proteção Individual – Métodos de ensaio para
calçados;

– ABNT NBR ISO 20345:2008 – Equipamento de proteção individual – Calçado de segurança;

– ABNT NBR ISO 20346:2008 – Equipamento de proteção individual – Calçado de proteção;

– ABNT NBR ISO 20347:2008 – Equipamento de proteção individual – Calçado ocupacional;

– NR 6 (MTE) – Equipamento de proteção individual – EPI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário