terça-feira, 15 de outubro de 2019

Segurança do Trabalho e o Meio Ambiente



Segurança do trabalho e meio ambiente são temas profundamente
interligados. Tanto isso é verdade que o tripé da segurança do
trabalho é formado por três itens: segurança, saúde e meio ambiente.
Quando se fala no último termo, é muito comum vir à mente uma
noção de ecologia. No entanto, essa expressão é muito mais global
nas normas regulamentadoras (NRs) brasileiras.

Nesse contexto, as NRs tratam como meio ambiente tanto as áreas
onde os colaboradores atuam quanto os seus arredores. Por isso,
segurança do trabalho e meio ambiente afetam a saúde e o bem-estar
de funcionários e da sociedade.

Um bom exemplo dessa relação intrínseca foi a tragédia de Mariana,
em Minas Gerais, em 2015. Depois do rompimento da barragem do
Fundão, o Rio Doce foi contaminado.

Da mesma forma, neste ano, o desastre em Brumadinho, no mesmo
estado, causou enormes impactos ao rio Paraopeba. Isso sem
mencionar as centenas de mortes. Além desses tipos de ocorrências,
é possível que haja várias outras. Esse é o caso das explosões e dos
vazamentos de gases tóxicos. 

Cumprimento das normas.

Como já dissemos, as NRs trazem regulamentações sobre o que
providenciar em um meio ambiente, seja externo, seja interno, para
manter em um nível máximo possível de segurança o andamento de
atividades perigosas.

Por isso, as áreas onde há risco de acidentes de trabalho devem
receber providências específicas, de acordo com o tipo de produção.
Por exemplo: as empresas que atuam com caldeiras devem manter
esses equipamentos a três metros de distância de qualquer via pública.
É o que determina a NR-13.

Da mesma forma, em um meio ambiente no qual haja uma máquina
injetora de plástico, devem ser instaladas grades de proteção. É o que
dispõe a NR-12, que regula o funcionamento de equipamentos e máquinas.
Afinal, eles também interferem em segurança do trabalho e meio ambiente.
Com essa providência, evita-se que o operador sofra queimaduras ou
esmagamentos pelo contato involuntário com a máquina.

Além dessas determinações específicas de como agir diante de uma
ameaça, as NRs direcionam para a priorização do isolamento das áreas
arriscadas. Isso significa que a empresa deve, primeiro, tentar encontrar
uma maneira de não expor o trabalhador a determinada situação de
instabilidade.

Quando isso não é viável, as organizações ficam obrigadas a oferecer os
Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), bem como os Equipamentos
de Proteção Coletiva (EPCs), entre outras providências. 

Boas condições de trabalho

Outros pontos importantes nos quais segurança do trabalho e meio
ambiente se encontram são as condições adequadas para o exercício
profissional. Isso acontece por um motivo muito simples: é no meio
ambiente que estão os perigos!

Tais riscos comprometem a integridade física dos colaboradores e, em
diversos casos, atingem até mesmo seu estado emocional. Imagine subir
20 andares do lado de fora de um prédio sem ter passado por um
treinamento? Qualquer pessoa ficaria tensa nessa circunstância, concorda?

E o que pode haver de errado nessas áreas? Inúmeros problemas:
ausência de protetores nas máquinas, sistema elétrico precário ou
danificado, passagens em alturas elevadas, má iluminação, piso deteriorado,
entre outros. Por tudo isso, não se pode negar que o espaço onde o
trabalho acontece afeta diretamente a saúde e o bem-estar dos funcionários.

Proteção ao meio ambiente

De uma forma ou de outra, um acidente de trabalho sempre englobará
alguns destes quesitos: interferência humana, relações entre pessoas,
utilização de máquinas e configuração do modo de trabalho. Todos esses
componentes formam o meio ambiente.

Nesse cenário, a segurança do trabalho tem como objetivo criar planos e
estratégias para deixar esse conjunto protegido. Nunca é demais lembrar
que isso vale para a vizinhança de uma fábrica na qual haja o andamento
de tarefas de risco.

Uma das formas de se preservar os recursos humanos é identificando,
amenizando e, se possível, eliminando os agentes causadores de ameaças.
Por exemplo: o movimento repetitivo pode causar doenças ocupacionais.
Sendo assim, a companhia deve criar formas para evitar que isso aconteça.

Uma medida poderia ser implementar rodízios nessa função para não
sobrecarregar nenhum trabalhador. Veja, a seguir, alguns tipos de perigos
que costumam aparecer no meio ambiente:

- risco químico: névoa, vapores, gases e poeira;
- risco biológico: bactérias, vírus, parasitas e fungos;
- riscos físicos: temperaturas extremas (frias e quentes), excesso de barulho
e pressões anormais;
- riscos ergonômicos: cadeiras desconfortáveis, atuação noturna, jornadas
muito extensas e tarefas repetitivas.

Biossegurança

A biossegurança merece um tópico à parte porque tem justamente o propósito
de proteger os humanos e o meio ambiente, no sentido mais geral de seu
conceito. Por isso, a biossegurança envolve a utilização de EPIs mediante
perigos biológicos. Essa vertente também dispõe sobre os métodos mais
eficazes de higienização e esterilização.

Dessa forma, também estão incluídas na biossegurança as providências para
arrefecer as consequências nocivas da indústria à natureza. Nesse cenário, é
uma ação dessa área o descarte sustentável de resíduos químicos. Ademais,
todo um planejamento tem que ser feito para impedir a contaminação de
cursos d’água, o que inclui os recursos hídricos situados fora das instalações
da companhia, mas próximos a ela.

Campanhas de prevenção a acidentes

Quando o assunto é segurança do trabalho e meio ambiente, não se pode
deixar de fora a expressão desenvolvimento sustentável. Com certeza, você
já ouviu falar sobre esse conceito, mas sabe ao certo o que ele significa?

O desenvolvimento sustentável se consolida quando a demanda da atual
geração é atendida sem prejudicar o suprimento dos descendentes dessa
mesma massa. Nesse sentido, é fundamental que a empresa engaje os
colaboradores na responsabilidade em contribuir para um progresso que
seja o menos danoso possível.

Daí a relevância em conscientizar o time sobre a prevenção de acidentes
que possam afetar tanto o local de trabalho quanto toda uma comunidade.
Entretanto, não adianta só promover ações de divulgação, palestras e
treinamentos. Mais do que tudo isso, é preciso dar o exemplo.

Do contrário, nenhuma iniciativa de persuasão será bem-sucedida. Afinal,
como convencer um funcionário que atua em condições insalubres, sem a
devida proteção, sobre o papel das medidas de precaução?

Como você já deve ter percebido, segurança do trabalho e meio ambiente
são temas inseparáveis. Afinal, os perigos estão espalhados por todos os
lugares. Ao assegurar que o time compreenda o vínculo entre essas duas
concepções, a empresa terá um elevado aumento na produtividade e uma
proporcional redução nos imprevistos, já que os olhares sobre os fatores de
risco se multiplicação por toda a parte.








Nenhum comentário:

Postar um comentário